Megalópoles



São grandes áreas urbanizadas que se estendem na região de influência de duas ou mais metrópoles. Entre as metrópoles, crescem cidades médias e pequenas, subúrbios residenciais e distritos industriais, áreas de agricultura intensiva de hortaliças e legumes ou bacias leiteiras. O conjunto da megalópole apresenta uma forte integração econômica e intensos fluxos de pessoas e mercadorias. Meios de transporte rápidos – trens expressos, autopistas e pontes aéreas – sustentam esses fluxos.

A primeira megalópole a se constituir – e ainda hoje a mais importante – éBos-Wash, o imenso eixo urbano no qual se destacam as metrópoles de Boston, Nova York-Nova Jersey, Filadélfia, Baltimore e Washington. Ocupando terras pertencentes a dez estados e centenas de governos municipais, a megalópole da costa leste dos Estados Unidos prenuncia a superurbanização do mundo.

Bos-Wash


Nos Estados Unidos existem mais dois espaços com a vocação de se transformarem em megalópoles. Um é a zona altamente urbanizada no sul dos Grandes Lagos, de Chicago a Pittsburgh, a Chipitts, que abrange grandes cidades como Milwaukee, Detroit e Cleveland. Na costa do Pacífico, o cinturão industrial da Califórnia, constituído no pós-guerra, que se estende de San Francisco a San Diego, passando por Los Angeles, está localizada a megalópole denominada San-San.

Chipitts

San-San

No Japão, onde a maior parte da população e da produção industrial está espremida nas terras escassas do litoral sudeste, nasceu a megalópoleTokaido, cujos pontos extremos são as metrópoles de Tóquio, Yokohama e Osaka, abrangendo ainda os grandes centros urbanos de Nagoya, Kobe e Kioto. O célebre trem bala, o shinkansen, é talvez, a imagem que melhor sintetiza a unidade da megalópole japonesa do Pacífico.




Na Alemanha, o fenômeno da conurbação se expressa pela urbanização extensiva ao longo do eixo do rio Reno, abrangendo diversas cidades médias. Essen, Dusseldorf, Colônia e Bonn são os principais centros desse corredor urbano, que pode ser visto como uma megalópole de tipo especial, por não abrigar nenhuma verdadeira metrópole.



As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, separadas por apenas cerca de 400 quilômetros, configuram o principal eixo econômico do país. A expansão das suas regiões metropolitanas e das cidades localizadas sobre o eixo de circulação que as conecta está conduzindo ao surgimento da primeira megalópole do país.

São Paulo e Rio de Janeiro estão conectados por eixos de circulação rodoviários e ferroviários estabelecidos no Vale do Paraíba. Ao longo desse eixo, adensa-se o espaço urbanizado que está sob o comando das metrópoles. Na parte paulista do Vale, destacam-se os centros industriais de São José dos Campos e Taubaté. Na parte fluminense, situa-se o grande pólo siderúrgico de Volta Redonda. Outros centros industriais – como Jacareí (SP), Guaratinguetá (SP), Resende (RJ) e Barra Mansa (RJ) – dinamizam os fluxos da megalópole em formação.



Adaptado de Geografia – A Construção do Mundo (Geografia Geral e do Brasil), Demétrio Magnoli e Regina Araújo (Editora Moderna, São Paulo, 2005.). 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Apollo 18 ficção ou realidade? Nasa teria escondida e existencia de ETs na lua? Leia no blog!!!

Fuso Horário